segunda-feira, 28 de março de 2011

Carpe Diem



“Curta a vida, pois a vida é curta.” E realmente é. A única certeza na vida de todo homem é saber que um dia irá morrer. E, mesmo que muitos evitem o assunto, não há ninguém que nunca tenha pensado sobre isso. Salomão diz em Eclesiastes 7:2: “É melhor estar num velório do que ir a uma festa, pois todos vão morrer um dia, e é bom pensar nisso enquanto ainda há tempo.” Mas não é preciso ir a um funeral para compreender que a morte é certa, muitas vezes repentina, não faz acepção de pessoas e não depende da nossa vontade. (Ec 8:8a)


Não é minha intenção causar temor ao falar sobre a morte, mas sim estimular uma nova postura diante da vida. “Ninguém pode fazer o homem voltar depois de morto para aproveitar aquilo que ainda vai acontecer.” (Ec 3:22b) Eis a atitude correta a se adotar diante da vida: Aproveitá-la! Como diz aquela música: "Viver e não ter a vergonha de ser feliz."


Buscar a felicidade não é pecado. Muitos sabem que não é, mas agem como se fosse. Pelo contrário, Deus é mais glorificado quando somos felizes. “Que adianta o homem viver dois mil anos sem desfrutar a felicidade?” (Ec 6:6)


Não buscar a felicidade é pecado. Buscar recompensa pelas nossas obras não é errado. O pecado está em desejar apenas as recompensas materiais e não as espirituais, como os galardões. Deus por várias vezes incentiva e até mesmo ordena em sua palavra que aproveitemos a vida. É um mandamento. “Por isso, desfrute a vida...” (Ec 8:15a) Alegre-se em todos os dias de sua vida.” (Ec 11:8a)


A vida é um presente de Deus (Ec 3:13) e Ele quer muito que nós o utilizemos, gastemos, aproveitemos. Ele não quer que olhemos pra esse presente e reclamemos porque não é do jeito que esperávamos, porque não é perfeito, porque não é igual ao do vizinho, ou porque exige esforço de nossa parte. “Aceitar o seu destino e aproveitar aquilo que ganha, isso é sem dúvida um presente de Deus.” (Ec 5:19b)


Nós não temos tudo o que queremos. É ilusão achar que seremos plenamente satisfeitos nessa vida, pois nosso coração é ambicioso e sempre quer mais e melhor.


Nós temos tudo o que precisamos. Olhe ao seu redor. Você tem saúde, família, emprego, comida, roupa, casa. Mesmo que não tenha todas essas coisas, tem pelo menos alguma delas. Mesmo que não tenha nenhuma delas (o que é muito difícil), mas você tem vida e isso é o suficiente para ser feliz.


Felicidade é diferente de alegria. Felicidade não é um estado, uma emoção. Felicidade é um modo de vida, uma decisão. A felicidade não está em momentos, pessoas, eventos, coisas, circunstâncias. A felicidade está no modo como enxergamos e aproveitamos a vida. “Contudo, você deve lembrar que há dias de trevas, e serão muitos.” (Ec 11:8b) Mas é possível ser feliz até na tristeza. Como?

Só há felicidade com Deus. “Porque ninguém pode se alegrar (...) sem Deus.” (Ec 2:25)

Ser feliz é praticar o bem enquanto viver (Ec 3:12).

Ser feliz é ter pessoas para compartilhar (Ec 4:8) e amar (Ec 9:9).

Ser feliz é fazer tudo com prazer (Ec 9:7) e bem feito (Ec 9:10a).

Ser feliz é fazer tudo o que tem vontade de fazer e conhecer, mas ciente das consequências. (Ec 11:9b)

Ser feliz é temer a Deus e guardar os seus mandamentos (Ec 12:13).

“A pessoa que fizer isso não precisará olhar para trás e se preocupar com a brevidade da vida, porque Deus encheu seu coração de alegria.” (Ec 5:20)


CARPE DIEM (Aproveite o momento)!!!

Em Cristo,

Débora Silva Costa.

(Passagens retiradas da Nova Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão.)

sábado, 19 de março de 2011

Realidade Alternativa


Numa madrugada dessas dei uma pausa num fichamento muito chato para bater um papo com um amigo via msn. Conversávamos sobre vários assuntos, principalmente sobre vida profissional, realizações e sonhos. Foi quando nos deparamos a refletir: "Como seria se a gente tivesse traçado outro caminho?" Foi até meio engraçado a gente filosofando altas horas da madruga, mas não deixa de ser um assunto sério: nós nunca deixamos de pensar na realidade alternativa.

Pelo menos comigo é assim. Volta e meia me pego pensando como teria sido se eu tivesse feito assim e não assado, se eu tivesse aproveitado aquele tempo com outra atividade, se eu tivesse dito aquilo àquela pessoa, se eu tivesse ido (ou não) àquele lugar, se... e por aí vai, a lista é infinita.

Por meio dessas divagações acabei chegando a algumas conclusões (não sei se são úteis pra minha vida, mas vamos lá): Se eu tivesse feito algumas escolhas diferentes, hoje:
* eu poderia estar fazendo faculdade em outro estado, longe da minha família;
* eu poderia nem estar fazendo faculdade (cheguei a pensar em desistir do curso depois de ter passado no vestibular e me matriculado! São algumas loucuras que a gente faz por causa de um namorado...);
* eu poderia talvez estar até casada (descalça e grávida... rsrs)!!! (Não que eu não queira me casar, pelo contrário, meu maior sonho é ter uma família, mas convenhamos que ainda sou um pouco nova pra isso... rsrs)

Mas graças a Deus que Ele muitas vezes não permite que sigamos o nosso enganoso coração. Graças a Deus!!!

Certo dia, conversando com uma garota (que eu já conhecia desde longos 15min... rs), ela me confessou que quando perdeu a avó que a criara, ela entrou em depressão e chegou a pensar em suicídio! Fiquei imaginando aquela moça jovem, alegre e super talentosa querendo tirar a própria vida, e então eu lhe disse: "Luiza, ainda bem que Deus não nos deixa fazer tudo o que queremos. Ainda bem!!! Por isso que eu não acredito nessa história de livre-arbítrio." E, realmente, é uma falsa liberdade, pois acabamos sendo escravos de nossas próprias vontades, que, se concretizadas, podem nos levar à ruína.

Voltando à "realidade alternativa" que debatíamos no msn, recordamo-nos das famosas pílulas de Morpheu, do filme Matrix: a azul, da ilusão, e a vermelha, da realidade. (Espero não ter trocado as [bolas] pílulas... rs)

A pílula azul é bastante tentadora. Oferece-nos a oportunidade de viver no mundo das idéias, cogitando "como seria se eu tivesse feito aquilo?" (futuro alternativo) ou "como será se eu fizer isso?" (futuro possível). E o melhor: livre de erros, decepções, mal entendidos, arrependimentos. Afinal, são só idéias, nada de práxis.

Mas a consciência de qualquer um apontaria para a pílula vermelha, pois todos sabemos que não é justo (nem com os outros, nem com nós mesmos) viver num mundo de ilusão. Quem vive de passado é museu. É preciso olhar pra frente, planejar o futuro. Melhor do que pensar "como teria sido?" é refletir "como será?".

Mas também devemos manter um equilíbrio: pensar e agir. Um não funciona sem o outro. Pensar sem agir é ilusão. Agir sem pensar é tolice.

Melhor que tudo isso é viver (e não apenas sonhar) confiando em Deus!

"... mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." Filipenses 3:13 e 14


P.S.: Como teria sido se naquela madrugada eu não tivesse dado uma pausa no fichamento??? rsrs...



Em Cristo,
Débora Silva Costa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...